publicado em 15 de dezembro de 2020

Controle de estoque em supermercados: veja 12 dicas de como fazer

Dos grandes aos pequenos comércios, o bom gerenciamento do estoque é essencial. Ainda, quando falamos de muitos produtos diferentes, isso se torna ainda mais importante e desafiador. Não há como pensar em segurança financeira, ou mesmo na segurança do consumidor, sem pensar no controle de estoque em supermercados.

Além dos manter os produtos nas condições adequadas para garantir a conservação dos produtos. Também é preciso prestar atenção para que a gestão seja feita da melhor maneira possível. Isso vai evitar prejuízos diversos, como perda de itens por conta de prazos de validade, ou queda nas vendas causada por indisponibilidade.

Não estamos aqui apenas para dizer o que deve ser feito, mas também como. Confira, a seguir, algumas dicas imprescindíveis para garantir um bom controle de estoque em supermercados. Esperamos que você faça bom uso dessas orientações e veja os resultados surgirem em breve!

Controle de estoque em supermercados

Antes de falarmos das dicas propriamente, é necessário destacar a importância de um bom controle de estoque. Esse processo dentro de um supermercado vai muito além de apenas ter produtos para oferecer aos clientes.

Uma boa gestão garante não apenas que você não ficará sem aqueles produtos mais procurados pelos seus clientes, mas também que você irá oferecer exatamente o que o seu cliente quer. Além disso, também consiste em manter um bom controle para prevenir perdas por má manipulação dos produtos ou por vencimento.

Ainda, muitos estabelecimentos fazem o chamado consumo interno, em que itens do estoque são utilizados para limpeza ou produção de produtos de fabricação própria. Ter processos bem estabelecimentos garante um bom controle de estoque e um bom andamento da rotina diária.

A seguir, falaremos em mais detalhes de cada um dos passos que você pode implementar para fazer um bom controle de estoque.

1. Tenha um registro de fluxo de mercadorias
O primeiro passo para ter controle sobre as mercadorias é entender o que entra e o que sai. O ideal é que você possua um sistema no qual os funcionários consigam registrar essas movimentações, que começam na chegada dos produtos a partir dos fornecedores.

Tão importante quanto saber o que e quando chegou à loja, é saber o que está sendo vendido. Mantenha o sistema sempre atualizado com o histórico de saídas, algo que pode ser útil, inclusive, para as suas estratégias de marketing. Existem softwares com integração que permitem esse cuidado sem dificuldades.

2. Faça inventários
Por mais que os programas integrados ajudem, erros ainda podem acontecer. O seu objetivo é reduzir as falhas ao mínimo possível, então não dá para deixar os inventários para lá. Esse processo de catalogação garante que tudo está sendo registrado corretamente e possibilita correções antes que elas resultem em grandes prejuízos.

Para que os inventários sejam bem sucedidos, é preciso estabelecer uma frequência regular para a sua realização, ter uma equipe treinada para isso, e uma metodologia padronizada.

3. Calcule tudo com base em dados
Toda decisão que você tomar em relação ao controle de estoque em supermercados só vai funcionar inteiramente se for baseada em dados. Isso significa que, para definir o que vale ou não a pena manter armazenado, por exemplo, você precisa saber o que é mais ou menos vendido.

Mesmo se seu mercado foi aberto há pouco tempo, é possível encontrar informações pertinentes. Descobrir o público-alvo é o primeiro passo: a partir daí, você conseguirá identificar os produtos mais procurados na região e poderá começar a planejar as próximas compras de mercadoria.

4. Conte com uma equipe confiável
Todas as etapas do controle de estoque exigem comprometimento e profissionalismo. Você precisa confiar nos funcionários que ficarão responsáveis pelos registros, catalogação, recebimento e distribuição de produtos.

O ideal é estabelecer programas de treinamento para os novos funcionários, tanto nos procedimentos do supermercado, como no uso do software de controle de estoque. Ainda, é importante que funcionários mais antigos também passem por programas de reciclagem. Outra excelente opção, é ter colaboradores que, mesmo em cargos diferentes, tenham conhecimento dos padrões da loja e possam dar andamento na rotina caso seja necessário. É importante que toda a equipe esteja sempre na mesma página.

5. Fique atento aos prazos de validade
Trabalhar com produtos perecíveis requer atenção extra ao tempo de permanência no estoque. É extremamente importante que você e a sua equipe fiquem de olho no vencimento dos itens, desde quando eles são adquiridos com o fornecedor até a exposição em loja.

Registre as datas de validade junto com as demais informações do produto. Caso contrário, você poderá ter grandes perdas apenas por falta de atenção. Quando essas datas se aproximarem, aproveite para fazer promoções e atrair clientes, mas sempre deixando claro a razão por trás da oferta.

Uma forma bastante simples de evitar as perdas por vencimento é manter os produtos organizados conforme o modo PEPS, ou seja, “primeiro que entra, primeiro que sai”. Isso poderá evitar que produtos fiquem esquecidos no estoque e vençam antes mesmo de ir para as prateleiras.

6. Compare giro e preço de custo
Os fornecedores também precisam atingir metas de vendas e podem atrair você com promoções. Em alguns casos, elas podem ser ótimas e realmente ajudar a reduzir custos, mas, em outros, elas não compensam. Para saber qual é a situação, você precisa ter em mãos os índices de giro do produto em questão.

Se você sabe que aquela mercadoria demora para sair, pode não adiantar comprar várias de uma vez, já que elas ocuparão espaço em estoque e podem até se aproximar demais da validade. Por outro lado, se o giro for bom, essa é uma ótima oportunidade para lucrar mais em cima de um mesmo item.

7. Cuide das condições de armazenamento
Como falamos no começo do artigo, o controle de estoque em supermercados também diz respeito à segurança do cliente. Determinados produtos podem estragar mesmo dentro do prazo de validade, dependendo de como foram armazenados. Já outros, podem até não estragar, mas perdem as suas características originais, podem ter seu gosto ou aparência alterados.

Por exemplo, vinhos precisam ser armazenados em temperaturas relativamente baixas e mantidos ao abrigo da luz. Os produtos de hortifrúti também precisam de condições especiais de armazenamento, sendo mantidos em locais mais frescos. Carnes e peixes exigem refrigeração ou mesmo congelamento. É fundamental que você conheça as exigências para cada produto e garanta que elas sejam seguidas.

Por isso, tenha certeza de que pode manter os produtos de forma adequada antes de oferecê-los para os seus clientes.

8. Tenha um estoque emergencial e um estoque mínimo
Ao se planejar e seguir todas essas dicas, é improvável que algum imprevisto aconteça e você fique com o estoque baixo ou sem determinado produto. Contudo, não se chamaria imprevisto se desse para ter certeza, certo? Por isso, é importante ter também um estoque de emergência para o caso de aumentos repentinos na procura de algum produto.

Outra forma de conseguir manter sempre os níveis de produtos dentro de um limite que não traga prejuízo é estabelecendo um estoque mínimo. Por exemplo, se a demanda de um suco de laranja da marca X é de 200 unidades por semana, estabeleça um estoque mínimo que seja capaz de garantir que você não fique sem aquele produto até que mais itens sejam entregues. Essa quantidade pode ser de 200, 400 ou 600 unidades, desta forma, mesmo tendo aumento da demanda ou atraso do fornecedor, você não correrá o risco de ficar sem o produto.

9. Separe estoques por canal de venda
Atualmente, muitos mercados estão adotando um sistema de entrega de mercadoria, inclusive por meio de aplicativos de delivery. Se esse for o seu caso, tenha cuidado em dobro com o estoque!

A recomendação aqui é, sempre que possível, separar o estoque por canal de venda. Desta forma ficará mais fácil de garantir um bom atendimento tanto para o cliente que for à sua loja física, quanto para os clientes que optarem pela compra pelo site ou pelo aplicativo, sem que haja prejuízo para nenhuma das partes.

10. Faça a curva abc
Se você ainda não sabe o que é ou nunca fez a curva abc dos seus produtos, esse é o momento de arregaçar as mangas e preparar essa análise. A curva abc irá permitir que você conheça quais são os produtos mais importantes para o seu negócio.

De acordo com essa análise, os produtos podem ser divididos em três diferentes categorias (A, B e C) de acordo com a importância que ele tem para o seu negócio. Os produtos A são aqueles que representam 20% do seu estoque, mas que respondem por 80% do seu faturamento. Já os produtos B, correspondem a 30% do seu estoque e respondem por cerca de 15% do seu faturamento. Enquanto que os produtos C, correspondem a 50% do seu estoque, mas são responsáveis por apenas 5% o seu faturamento.

Com essa análise, você saberá quais produtos não podem faltar no seu estoque, para quais produtos é bom ter mais de uma opção de fornecedor, e quais merecem destaque nas suas ações de marketing. No nosso artigo: como fazer a curva abc: saiba tudo sobre o assunto você encontrará mais detalhes a respeito dessa análise e a explicação de como fazê-la.

11. Tenha mais de um fornecedor
É natural que ao longo do tempo você passe a ter uma relação de maior confiança e parceria com alguns fornecedores. Entretanto, é preciso tomar cuidado para não deixar todo o seu estoque à mercê de apenas um ou dois fornecedores.

Isso porque, se acontecer qualquer problema ou atraso na entrega, ou mesmo um aumento de preços considerável, você terá prejuízos. Principalmente se estivermos falando daqueles produtos da classe A (conforme a curva abc).

A recomendação neste caso é conhecer quem são os principais fornecedores dos produtos, ter uma lista com quais produtos eles trabalham. Desta forma você terá a quem recorrer caso haja algum problema com o fornecedor anterior.

12. Faça promoções sempre que necessário
Provavelmente, depois de fazer alguns dos passos indicados neste artigo, você se deparou com alguns produtos que quase não tem saída e estão parados, apenas deixando o seu dinheiro imobilizado e ocupando espaço no estoque.

Se identificou com a situação? Não se preocupe, é absolutamente normal comprar algum produto em quantidade maior apostando que a procura será grande e acabar vendendo menos do que o esperado.

Se este for o seu caso o melhor a fazer é colocar o item em promoção. Apesar dessa medida diminuir a sua margem de lucro sobre o(s) produto(s) em questão, você não sairá no prejuízo e ainda conseguir abrir espaço no estoque para itens que sejam realmente importantes.

Controle de estoque de supermercado: últimas dicas
Cada uma dessas dicas pode ser aplicada da maneira como você achar apropriado para o seu estabelecimento. Você é quem conhece melhor as possibilidades, falhas e acertos da sua loja no momento. Analise o que faz sentido para a sua realidade e aplique da melhor maneira.

Ressaltamos, porém, que é uma ótima ideia usar a tecnologia para ajudar nesse processo. O controle de estoque em supermercados, hoje em dia, exige um bom programa integrado para registro dos produtos. Se você ainda não tem um software capaz de realizar essas tarefas é importante que você considere urgentemente implementar um para ajudar na sua gestão.

Fonte: listenx.com.br